junho 19, 2021

A Daymak, uma startup que desenvolve veículos eléctricos e processos de mobilidade rodoviária, apresentou um protótipo que poderá revolucionar e dar solução às questões que se têm levantado sobre a quantidade de emissões de carbono que o processo de mineração de criptomoedas tem causado.

De acordo com uma nota da Daymik, esta solução vem com o seu mais recente veículo eléctrico denominado Spiritus, que é capaz de minerar criptomoedas enquanto esta encontra-se parada na garagem.

“Enquanto a maioria dos veículos estão se depreciando quando estão parados na sua garagem, o Nebula Miner (processo de mineração do Spiritus) fará com que os proprietários ganhem dinheiro quando seu Spiritus estiver estacionado", disse Aldo Baiocchi, presidente da Daymak.

O veículo que ainda aguarda por aprovação da sua patente, poderá criar novas criptomoedas e efectuar validação de transações (método conhecido como mineração). Para isso, ele tem o que a Daymak chama de Nebula Miner e os criptoativos minerados são guardados na carteira digital chamada Nebula Wallet.

De lembrar que, recentemente, várias pesquisas apontavam para o aumento de emissões de carbono por conta do processo de mineração de criptomoedas, facto que fez com que Elon Musk, um dos maiores entusiastas, tomasse a decisão de suspender as vendas da Tesla com pagamentos em bitcoin, tendo mesmo avançado que só voltaria a apoiar a mineração de criptomoedas caso estas fossem mineradoras por meio de energia limpa.

O Spiritus tem previsão de chegar ao mercado americano em 2023 e a startup promete que ele será livre de emissões de carbono. O veículo já está em pré-venda por valores que vão de 20.000 a 150.000 dólares norte-americanos.

A organização do Global Startup Awards (GSA) Africa ou Prêmio Global de Startup, abre inscrições para encontrar os melhores inovadores de tecnologia dos 55 estados membros da União Africana, que terão a oportunidade de participar pela primeira vez na maior competição independente baseada no ecossistema de startups do mundo.

De acordo com a organização, os prêmios fornecem visibilidade a cadeia de valor do ecossistema, bem como importantes conexões globais e oportunidades para desenvolver parcerias em toda a África.

Apesar das consequências da pandemia global, mais empresas africanas fecharam rodadas de financiamento em 2020 do que em qualquer ano anterior.

"Percebemos que era hora de colocar a África no mapa, elevando a marca de inovação africana e exibindo-a ao mundo”, disse Caitlin Nash, co-fundadora do Global Innovation Initiative Group, que detém os direitos da GSA África. 

A competição homenageia todos os componentes do ecossistema de startups, desde os próprios negócios até as pessoas que os tornam possíveis, bem como as organizações que colaboram com esses visionários para fazer coisas incríveis acontecerem.

A meta da GSA África e as categorias de competição deste ano estão conectadas com a Agenda 2063 da União Africana, que visa alimentar a África, industrializar a África, integrar a África e, em última análise, melhorar a qualidade de vida dos africanos.

“Este é o primeiro ano em que a GSA África alcançará todos os 55 estados membros da UA - um grande avanço para a inovação africana”, conclui Mara Zhanet, parceira da GSA África e líder do Jacaranda Hub da Zâmbia. 

Os prêmios terão como objectivo conectar os inventores africanos em ascensão a perspectivas incomparáveis, trazendo a invenção africana para o mundo e colocando os inventores africanos no palco global.

YOV (You, Only Virtual), uma startup com sede em Los Angeles, nos EUA, patenteou uma tecnologia que arquiva a personalidade de uma pessoa e permite recriar interações em mensagens, voz e vídeo. 

O produto é uma criação do psicólogo clínico, Justin Harrison, que após sofrer um acidente de motorizada em 2019 e se deparar com o cancro terminal da sua mãe, queria uma forma de continuar a replicar as interações que tinha com a mãe após a sua morte e concebeu uma tecnologia para o fazer. A aplicação estará brevemente em fase beta e apenas por convite, com 10 mil utilizadores a testarem a primeira versão durante seis meses. 

Ao descarregar a aplicação, os utilizadores poderão começar a arquivar as suas "personas" virtuais a partir das conversas que vão tendo com amigos e familiares num "círculo YOV". A plataforma recorre a aprendizagem de máquina e análise de personalidade para construir esta "persona" e todos os elementos do círculo têm de dar permissão para o efeito. Na eventualidade de um deles morrer, os outros membros do círculo podem continuar a interagir com ele através da sua "persona" virtual, de uma forma que recria as nuances da sua personalidade e forma de falar. 

A ideia é receber mensagens, chamadas ou vídeochamadas de alguém que já morreu e o serviço será pago mensalmente, sendo que os utilizadores iniciais - no "Clube dos Fundadores" - terão um preço permanente de um dólar por mês. 

Lembrar que em Janeiro deste ano, a Microsoft apresentou um projecto para o futuro de reencarnar digitalmente uma pessoa que já faleceu através do Chatbot, método tecnológico criado com base em dados sociais constituído por imagens, áudios, posts em redes sociais e mensagens de pessoas específicas, a escolha do utilizador, correspondendo uma entidade passada ou presente (morta ou viva), como exemplo, um amigo, um parente, um conhecido, uma celebridade, um personagem fictício ou uma figura histórica, tudo num programa computadorizado que também possibilita treinar uma versão digital do usuário mesmo antes de morrer.

 

A Startup Estudante Carneiro, que tem o objectivo de ajudar os jovens em seu percurso estudantil, venceu no passado dia 4 de Março, o concurso da feira do Dia Mundial da Engenharia para o Desenvolvimento Sustentável que o Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências (ISPTEC) realizou em colaboração com a Comissão Nacional para a UNESCO.

Para José Coio, CEO da Startup, que falou em exclusivo ao Portal de T.I, sublinhou que este reconhecimento representa o início de muitas vitórias e com isso muitas portas se abrirão e haverá oportunidades para a sua equipa mostrar este trabalho ao mundo.

"Daqui para frente pretendemos melhorar, conquistar mais prémios, evoluir e expandir o que fazemos a fim de sermos reconhecidos a nível nacional e internacional pelo nosso trabalho, e como uma Edtech onde estudantes recorrem para tirar as suas dúvidas e atingir o sucesso na vida académica", frisou o responsável que ao lado da sua equipa partilham vários conteúdos para os estudantes como curiosidades, concursos, imagens motivacionais e debates.

O concurso foi dividido em duas categorias, nomeadamente Engenharias e Tecnologias e a categoria Empresarial, na qual a startup Estudante Carneiro foi a grande vencedora na categoria Empresarial, onde apresentaram as suas sebentas, a caser e a Uniteca (Biblioteca digital).

"A nossa startup cumpre o quarto objectivo do desenvolvimento sustentável que é a 'Educação de Qualidade'. Acreditamos que tudo começa com uma educação de qualidade", disse José Caio ao Portal de T.I, acrescentando que este objectivo vai abraçar os outros como a saúde de qualidade, indústrias e infraestruturas.

A província de Cabinda vai acolher o evento Startup Weekend. Um projecto que visa acelerar o Ecossistema de Empreendedorismo, tecnologias e inovação do país.

O Evento vai decorrer online nas plataformas Google Meet e Discord, e pretende reunir mais de 20 jovens (Alunos do ensino médio, estudantes universitários, profissionais, freelancers, curiosos e entusiastas) de diferentes áreas de domínio. Para esta edição, poderá participar qualquer pessoa que esteja em uma outra província ou país.

Os interessados poderão inscrever-se online, e formar equipas para desenvolver em 54 horas, ideias e modelos de negócios inovadores, que serão apresentados, e validados por um comité de júris.

Os participantes também terão acesso a vários Bootcamps interactivos a fim de desenvolver conhecimentos, habilidades e os melhores métodos que os ajudarão a tirar as suas ideias e/ou projectos disruptivos do papel para o mercado.

O evento ainda contará com o acompanhamento de empreendedores com vasta experiência em desenvolvimento de startups a nível nacional. Os ingressos para participar no evento podem ser adquiridos pelo link https://bit.ly/swcabinda ou presencialmente, dias antes do evento, bastando entrar em contacto com a equipa organizadora do evento.

Techstars Startup Weekend é uma rede mundial de mais de 10 mil líderes e empreendedores de alto impacto em uma missão para inspirar, educar e capacitar indivíduos, equipas e comunidades. Actualmente, mais de 8.000 startups foram criadas nos mais de 4000 eventos realizados em cerca de 150 países.

Pág. 1 de 4
© 2021 Portal de T.I Todos Direitos Reservados | Telefone: +244930747817 | E-mail: info@portaldeti.com