abril 11, 2021

Após a interrupção dos serviços da Microsoft Teams a nível mundial, a empresa informou no seu site oficial que ainda está se recuperando da interrupção ocorrida na tarde de segunda-feira (15). A Microsoft diz que está tentando colocar o serviço online novamente depois que “uma mudança recente em um sistema de autenticação” derrubou alguns serviços do Microsoft 365.

Embora a reversão da mudança tenha demorado mais do que a Microsoft esperava, agora ela está completa e o Teams, o Azure e outros serviços do Microsoft 365 devem estar online novamente. No entanto, em um tweet das 19h19 ET , a empresa disse que está "tomando medidas para resolver alguns impactos residuais isolados para serviços que ainda estão sofrendo impacto".

Os problemas começaram por volta das 15h30 horário do leste dos EUA e a Microsoft rapidamente confirmou que eles estavam afectando usuários em todo o mundo. Esta é a primeira grande interrupção do Microsoft Teams desde que o serviço caiu em setembro, junto com outros serviços do Microsoft 365, como Office 365 e Outlook. A Microsoft também atribuiu a interrupção anterior a uma mudança na configuração.

O Azure Active Directory também enfrentou problemas como parte dessa interrupção, e os códigos pré-pagos do Xbox da Microsoft também não estavam funcionando . O bate-papo do grupo Xbox também continua intermitente para alguns usuários .

Como consequência da interrupção, a WarnerMedia adiou a estreia virtual da Liga da Justiça de Zack Snyder. Actualmente, a Microsoft conta com 115 milhões de pessoas usando seu aplicativo de comunicação Microsoft Teams todos os dias.

A gigante do mundo informático tem um projecto para o futuro de reencarnar digitalmente uma pessoa que já faleceu através do Chatbot, método tecnológico criado com base em dados sociais constituído por imagens, áudios, posts em redes sociais e mensagens de pessoas específicas.

De acordo com a revista Forbes, a Microsoft registou uma nova patente que estuda esta possibilidade e assim que for lançado, será construido um perfil da pessoa a escolha do utilizador, correspondendo uma entidade passada ou presente (morta ou viva), como exemplo, um amigo, um parente, um conhecido, uma celebridade, um personagem fictício ou uma figura histórica, tudo num programa computadorizado que também possibilita treinar uma versão digital do usuário mesmo antes de morrer.

A notícia gerou comparações com a série da Netflix "Be Right Back", que conta a história de uma mulher que compra um robô com inteligência artificial capaz de imitar a aparência e o jeito de seu falecido marido baseado em dados sociais, os mesmos citados na patente da Microsoft.
Segundo a patente da marca tecnológica, explica que o próprio utilizador terá a liberdade de criar e treinar um robô a sua versão digital e ao longo do processo a máquina será capaz de imitar as características individuais de uma pessoa, como o estilo, dicção, tom, voz, intenção, complexidade do diálogo, tópico e consistência.

Dias depois do registo, o projecto está a levantar polémicas e implicações relacionadas à privacidade de algumas pessoas, uma questão ainda não abordada na patente.

Num artigo do site Protocol acerca da novidade, levanta exemplos se pessoas que irão usar o sistema terão o direito de optar em terminar a sessão; se os parentes das pessoas falecidas seriam capazes de impedir que alguém transformasse os seus entes queridos em chatbots; ou se pessoas ainda vivas poderão optar por não participar do sistema e impedir que os seus dados sejam utilizados por outros para criar versões digitais indesejadas.

A Microsoft anunciou recentemente a contratação de Guido Van Rossum, criador da linguagem de programação Python, que juntou-se a Divisão de desenvolvimento da Microsoft.

Com 64 anos de idade, uma fase em que a maioria dos programadores de topo estão a desfrutar da sua reforma, o famoso desenvolvedor de código aberto Guido Van Rossum, decidiu abandonar a reforma para juntar-se à Microsoft e continuar o seu trabalho na linguagem Python.

De acordo com um porta-voz da Microsoft, o facto de ter Van Rossum como parte da divisão de desenvolvedores, deixou a equipa entusiasmada. A Microsoft está empenhada em contribuir e crescer com a comunidade Python e a aderência do fundador é um reflexo desse compromisso.

Van Rossum criou a Python em 1989, e actualmente é uma das línguas mais utilizadas do mundo, usada como base de “softwares” muito importante do: Linux, Apache, MySQL, Python/Perl/PHP (LAMP). Graças a sua utilização em Machine Learning (ML), Python não mostra sinais de abrandamento.

Ao longo dos anos, Van Rossum tem trabalhado para muitas empresas, isto inclui Zope, uma organização de servidores de aplicação Web baseada em Python; e a empresa pessoal de armazenamento em nuvem Dropbox que é construída em Python. Rossum deu continuidade para melhoria da Python sem se importar com o cargo e a empresa, e é provável que continuará fazê-lo na Microsoft.

Durante anos a Microsoft teve pouco interesse em Python e na medida que a mesma começou a trabalhar mais com a open source(código aberto) e a cloud, a empresa mudou de posição. A Microsoft chegou a trabalhar com Python first e com Python Tools for Visual Studio (PTVS) em 2010 e depois ironPython que funciona em .NET, isso em 2018, "Estamos fora e orgulhosos com Python, apoiando-o nas nossas ferramentas de desenvolvimento como Visual Studio e Visual Studio Code, hospedando em Azure Notebooks e usando-o para construir experiências de utilizador final como o Azure CLI." Explicou Steve Dower engenheiro de software da Microsoft.

O Engenheiro conclui dizendo que o Python é uma das linguagens essenciais para serviços e equipas, bem como a escolha mais popular para o campo de ciência de dados e análise de dados em rápido crescimento, tanto dentro como fora da empresa .

Em síntese, a contratação de Guido Van Rossum pela Microsoft é um dos movimentos mais inteligentes que poderia fazer para solidifica-lá tanto como uma empresa líder em desenvolvimento de software, bem como um verdadeiro crente de código aberto.

A ITA – Internet Technologies Angola, S.A., operadora Angolana de telecomunicações lança, em parceria com a Microsoft, um serviço inovador de telefonia para a plataforma de comunicação corporativa Microsoft Teams. Este serviço possibilitará efectuar e receber chamadas de telefonia convencional sobre a plataforma da Microsoft com números de telefones de Angola da rede da ITA.

O Microsoft Teams que é uma ferramenta unificada de comunicação e colaboração que combina, chat, áudio e vídeo conferências, armazenamento de arquivos e integração de aplicativos no local de trabalho, permitirá o serviço de chamadas telefónicas dos utilizadores do aplicativo, para qualquer rede fixa ou móvel, e para qualquer parte de Angola e do mundo, permitindo assim juntar em reunião várias pessoas pelo Teams ou por telefone.

“Somos os pioneiros no lançamento deste serviço em Angola, um marco importante, não somente para a ITA, como empresa, mas também para o mercado das telecomunicações, que agora conta com uma ferramenta de comunicação extremamente completa, que além de prática oferece uma redução nos custos de telefonia”, refere a nota da operadora angolana.

Disponível para computadores e telemóveis, a aplicação permite, com facilidade, receber chamadas. “Para além de todas as funcionalidades de colaboração, o utilizador do serviço de voz via Teams, poderá receber chamadas no seu número da ITA, mesmo estando fora do escritório, em teletrabalho”, Afirma Túlio Jacinto, o Director Executivo de Operações da ITA.

A realidade das empresas, cada vez mais dinâmicas, exigem aplicações que gerem confiança e agilizem os processos, integrando todos os envolvidos, dividindo funções e responsabilidades, em especial, remotamente. Com a integração de telefonia convencional, o Teams ficou mais prático e os processos mais transparentes, já que as chamadas podem ficar gravadas e armazenadas como um arquivo que pode ser consultado. “Somos os pioneiros no lançamento deste serviço em Angola, um marco importante, não somente para nós como empresa, mas também para o mercado das telecomunicações, que agora conta com uma ferramenta de comunicação extremamente completa, que além de prática, permite reduzir os custos de telefonia”, frisou Túlio Jacinto.

As empresas utilizadoras deste serviço podem alcançar uma redução de custos de comunicação até cerca de 60%, já que as chamadas dentro da rede da ITA não possuem custos adicionais. Além disso, a produtividade é maior, já que os utilizadores estão sempre conectados, mesmo em condições atípicas, em que existe a necessidade de trabalho remoto, como no período complexo que atravessamos, acrescentou Carlos Silva, Director Comercial da ITA.

De acordo com o comunicado da empresa nesta sexta-feira (9), mais funcionários estão a ser permitidos trabalhar permanente em casa.

Actualmente, devido a Pandemia em curso, maior parte dos trabalhadores da Microsoft estão a trabalhar em casa, porém a empresa pretende adotar um "local de trabalho híbrido", internamente para permitir uma flexibilidade maior, quando os escritórios nos Estados Unidos finalmente reabrirem.

Segundo o site The Verge, a Microsoft agora permitirá que os funcionários trabalhem de casa livremente por menos de 50% de sua semana de trabalho ou que os gerentes aprovem o trabalho remoto permanente. Os funcionários que optarem pela opção de trabalho remoto permanente abrirão mão de seu espaço de escritório atribuído, mas ainda terão opções para usar o espaço de toque disponível nos escritórios da Microsoft.

A pandemia COVID-19 desafiou todos nós a pensar, viver e trabalhar de novas maneiras”, disse Kathleen Hogan, directora de pessoal da Microsoft, em uma nota aos funcionários. “Ofereceremos o máximo de flexibilidade possível para apoiar estilos de trabalho individuais, ao mesmo tempo em que equilibramos as necessidades de negócios e garantimos que vivemos nossa cultura”.

Embora a empresa tenha adoptado o trabalho a partir de casa, ainda existe algumas actividades que exigem a presença física nos escritórios, como é o caso do acesso ao laboratório de hardware, data centers e treinamento pessoal. Os funcionários também terão permissão para se deslocarem para o país de origem com aprovação, ou até mesmo buscar uma mudança internacional se o trabalho remoto for viável para sua função específica.

Ademais, a opção de retoma ao País de origem, e exercer o trabalho remoto, exigirá que haja ajuste no salário e benefícios, em função da escala geográfica da empresa.

A mudança da Microsoft para um trabalho mais flexível ocorre meses depois que a empresa notificou os funcionários de que seus escritórios nos Estados Unidos não seriam reabertos até Janeiro de 2021, no mínimo . A Microsoft originalmente permitiu que seus funcionários trabalhassem em casa em Março, antes de aplicar uma política de trabalho obrigatório em casa, já que a pandemia se espalhou por Seattle e nos Estados Unidos.

Pág. 1 de 2
© 2021 Portal de T.I Todos Direitos Reservados | Telefone: +244930747817 | E-mail: info@portaldeti.com