julho 30, 2021

Usuários dos serviços de TV e Net, da empresa de Telecomunicações Zap Fibra, queixam-se de estar impedidos de aceder a todos os serviços da Microsoft, tendo como recurso para a navegação os serviços da empresa.

Estão nomeadamente inoperantes, para todos os clientes que têm Zap fibra como provedor de internet, as aplicações oneDrive, Outlook, OneNote e Microsoft Teams.

Contactada a empresa, a fim de prestar maiores esclarecimentos sobre a situação, verificamos uma morosidade ao atendimento, deixando-nos à mercê de suas publicidades.

A Microsoft anunciou nesta Segunda-feira(13) a aquisição da startup de segurança cibernética RiskIQ para ajudar as empresas a se protegerem melhor das ameaças cibernéticas.

Diante dos frequentes ataques cibernéticos, a Microsoft afirmou que a aquisição ajudará seus clientes a enfrentarem as ameaças específicas representadas pelo trabalho remoto e pela computação em nuvem.

O software da RiskIQ permite que as empresas monitorem toda a sua rede, incluindo operações em vários provedores de nuvem, e sua pesquisa de inteligência de ameaças auxilia as empresas na identificação e mitigação de ameaças potenciais.

De acordo com a Bloomberg, a Microsoft pagou mais de 500 milhões de dólares norte-americano para comprar o RiskIQ, sem no entanto adiantar os termos financeiros da aquisição.

Eric Doerr, vice-presidente de segurança em nuvem da Microsoft, referiu que a RiskIQ ajuda os clientes a manterem sua superfície de ataque segura. E que os mais de 10 anos de experiência da companhia, ajuda as organizações a identificarem e corrigirem vulnerabilidades antes que um criminoso possa atingi-las.
 
“Não poderíamos estar mais satisfeitos em unir forças para capacitar a comunidade mundial a se proteger contra a crescente enxurrada de ataques cibernéticos", referiu Elias Manousos, fundador e CEO do RiskIQ.

O anúncio chega em um momento em que muitos líderes corporativos estão preocupados com a segurança cibernética.

A Microsoft anunciou nesta Quinta-feira (24), num evento online, que a próxima versão do Windows será chamada de Windows 11, com um visual renovado, design novo para o menu "iniciar" e a tradicional barra de tarefas que é consistente com o apresentado numa versão preliminar do sistema que vazou na internet há cerca de uma semana.

Para facilitar a conexão entre utilizadores, o Windows 11 traz uma ferramenta focada no mercado corporativo, que está aparentemente a ser redesenhada para o público geral, como uma alternativa ao Messages da Apple, e esta versão traz uma lista dos contactos mais recentes, facilitando o início de uma conversa, seja por voz, texto ou vídeo-chamada.

Também há mudanças para tornar o uso com telas de toque mais fácil, incluindo o suporte a gestos na tela, um novo teclado virtual (que parece ser derivado do Swiftkey, adquirido pela Microsoft em 2016), suporte a canetas com "haptics" (feedback tátil das acções na tela) e um novo sistema de reconhecimento de voz que permitirá aos comandos e textos serem ditados, com reconhecimento automático de pontuação.

Além disso, o recurso Auto HDR promete melhorar a qualidade gráfica em jogos e hardware suportado, e o DirectStorage permitirá que os jogos, em máquinas compatíveis, acessem o disco e carreguem dados em alta velocidade, sem atrasar o desempenho do sistema e reduzindo o tempo de "Loading".

A Microsoft permitirá que empresas adicionem suas próprias plataformas de distribuição à loja, como a Steam ou Epic Store. Neste caso, a empresa não cobrará comissão por apps vendidos nestas lojas.

A loja também terá suporte a aplicativos Android, que agora irão rodar "nativa-mente" dentro do Windows, com integração à Amazon App Store. Um dos apps demonstrados foi o popular TikTok.

Com uma apresentação detalhada no seu site oficial, a gigante tecnológica informa no fim que o Windows 11 ainda não está no mercado, mas chegará ainda este ano. 

Mas a pensar no entusiasmo do seu público que está conhecer o novo software, a Microsoft disponibilizou algumas demonstrações para testes como forma de preparação à chegada do seu sistema operativo.

Fonte: Olhar Digital

A Microsoft irá encerrar o suporte ao Windows 10 a 14 de outubro de 2025, segundo revelações da empresa numa actualização na página de suporte do sistema operativo.

Oficialmente lançado em Julho de 2015, a versão actual do software encerrará o seu ciclo de vida com pouco mais de uma década de existência. O período é o mesmo de versões anteriores do Windows.

Para o blog Thurrott, esta é a primeira vez que a Microsoft divulga uma data para o fim do ciclo de vida do Windows 10. Ainda de acordo com a publicação, a data marca o fim do suporte de versões específicas do sistema, mas não do Windows 10 como um todo.

O anúncio sobre a “nova geração do Windows” acontecerá “em breve”, de acordo com a informação do director executivo da empresa, Satya Nadella, durante o evento para desenvolvedores realizado no passado mês de Maio, denominado Microsoft Build. A expectativa é que a próxima actualização do Windows seja a mais ostensiva da década, incluindo mudanças na interface e design do sistema operativo.

Isso inclui algumas mudanças já anunciadas, como uma actualização para ícones do sistema, incluindo programas que permanecem com o mesmo visual desde o Windows 95. Melhorias na interface de áudio Bluetooth e a adição do Auto HDR, disponível no Xbox, também estão no pacote.

Mudanças também serão implementadas na loja de aplicativos do Windows, que será mais aberta para o ecossistema, e apontam rumores que a comercialização de aplicativos terceiros será liberada.

Fonte: It Mídia

A informação do lançamento desta nova geração do sistema operativo Windows, foi avançada na passada terça-feira(25), por Satya Nadella, CEO da Microsoft, quando falava na palestra sobre o Build 2021.

“Em breve, iremos partilhar uma das actualizações mais significativas do Windows da última década para desbloquear maiores oportunidades económicas para desenvolvedores e criadores. Nossa promessa é criar mais oportunidades para todos os desenvolvedores do Windows hoje e darmos as boas-vindas a todos os criadores que procuram a plataforma mais inovadora, nova e aberta para construir, distribuir e monetizar aplicativos. Estamos ansiosos para partilhar mais em breve.”, referiu o CEO da Microsoft, Satya Nadella.

De acordo con o The Verge, a Microsoft tem trabalhado em uma nova loja de aplicativos para Windows nos últimos meses, juntamente com algumas mudanças significativas na interface do usuário do sistema operacional. 

Isso provavelmente incluirá algumas mudanças significativas na Windows Store, permitindo que os desenvolvedores enviem qualquer aplicativo do Windows - incluindo navegadores como Chrome ou Firefox. Especialistas referem que a Microsoft poderá até permitir plataformas de comércio de terceiros em aplicativos, para que os desenvolvedores possam evitar o próprio corte de 15 por cento da Microsoft em aplicativos e 12 por cento em jogos.

Depois da confirmação na semana passada do Windows 10X, sistema operacional originalmente construído para dispositivos de tela dupla, o fabricante do software referiu agora que está a trazer os melhores bits do Windows 10X para uma versão simplificada do Windows, para a versão principal do Windows 10. 

A Microsoft também disse que está focada em melhorar os fundamentos básicos do Windows, com correções para um problema de reorganização de aplicativos em vários monitores, a adição do recurso HDR do Xbox Auto e melhorias no suporte de áudio Bluetooth.

Nadella disse que avançariam mais informações sobre o futuro do Windows nos próximos dias.

Pág. 1 de 3
© 2021 Portal de T.I Todos Direitos Reservados | Telefone: +244930747817 | E-mail: info@portaldeti.com