outubro 20, 2020

O WhatsApp lançou recentemente uma actualização com um recurso que visa incentivar uma busca por informações reais relacionadas aos conteúdos compartilhados por mensagens.

Depois da implementação da etiqueta especial de encaminhamento, que marca as mensagens frequentemente enviadas para usuários que saibam quando uma mensagem recebida não foi criada por quem enviou, agora chega a novidades de usuários que podem acessar essas informações via internet.

De acordo com o Portal WABetaInfo, plataforma WhatsApp WhatsApp, recurso novo, acesso a usuários, privilégio de poder verificar qualquer mensagem que seja encaminhada, clicar em um botão da lupa, exibir ao lado das mensagens abertas várias vezes, que direcciona uma maneira simples de use a internet sobre o conteúdo exibido na mensagem. Sendo assim, uma busca por informações concretas e notícias relacionadas ocorre de forma rápida e intuitiva.

O WhatsApp ainda ressuscita que, o recurso pode capturar os usuários carregados como mensagens pesquisadas directamente no navegador, tanto no dispositivo móvel quanto no computador ou notebook. Portanto, a plataforma não terá acesso ao conteúdo das mensagens e a criptografia de ponta a ponta será mantida.

O recurso de pesquisa via internet já está disponível para usuários no Brasil, Estados Unidos, Reino Unido, Espanha, Itália, México e Irlanda, utilizando uma versão mais recente do WhatsApp para Android, iOS e Web. Uma empresa informada que brevemente estará disponível em escala global.

De realçar que, muito recentemente, a empresa implementou a escala global, a opção de videoconferência com até 50 participantes.  

 

 

Fonte: olhardigital

Uma equipa de pesquisadores da Universidade de Chicago, desenvolve um sistema que tem a capacidade de enganar reconhecimento facial, embaralhando os pixels das fotos, de modo a dificultar o uso de algoritmos.

Numa altura em que os especialistas advertem às pessoas no sentido de tomarem diversas precauções para que as imagens publicadas nas redes sociais não caiam nas mãos de algumas empresas obscura de mineração de dados, a referida equipa de pesquisadores, deu a conhecer que o sistema desenvolvido é funcional e mais eficaz para driblar algoritmo de espionagem.

O sistema foi apelidado de "Fawkes", em homenagem à máscara de Guy Fawkes que se tornou símbolo do grupo Anonymous. Os pesquisadores começaram a trabalhar no final do ano passado, com o objectivo de frustrar empresas como a Clearview AI, que criam grandes bancos de dados de rostos, colectando dados de posts públicos em redes sociais.

"Acreditamos que a Clearview AI provavelmente seja apenas a ponta (bastante grande) do iceberg", escreveram os pesquisadores. "Se pudermos reduzir a precisão desses modelos para torná-los não confiáveis ou forçar os proprietários a pagar custos significativos por pessoa para manter a precisão, já seria um sucesso".

Quando uma companhia de reconhecimento facial como a Clearview AI é treinada para reconhecer a aparência de uma determinada pessoa, esse reconhecimento acontece quando o sistema faz a ligação entre uma foto de um rosto (como uma foto de perfil do Facebook) e outra imagem desse mesmo rosto (a foto de um documento, por exemplo) e encontra semelhanças entre as fotos.

Segundo a equipa de Chicago, isso não significa apenas encontrar geometria facial, cor de cabelo ou marcas na pele correspondentes. É necessário também identificar relações invisíveis entre os pixels que compõem uma imagem dessa face gerada por computador.

“Você ainda seria capaz de reconhecer esse rosto mesmo se trocarmos ou distorcermos alguns desses pixels, mas os algoritmos de reconhecimento facial mais famosos entenderiam isso como uma pessoa completamente diferente”. Essa técnica de "camuflagem", segundo a pesquisa, conseguiu enganar os sistemas usados por Amazon, Microsoft e Google em 100% das tentativas.

O Fawkes foi disponibilizado gratuitamente para download no site da Universidade de Chicago. Caso tenha uma foto que deseja proteger de possíveis colectas de dados, pode carregá-la no Fawkes, que embaralha esses pixels invisíveis. A equipe afirma que o processo dura cerca de 40 segundos por foto.

 

 

Fonte: uchicago

Chama-se “Bot-Benfica”, o chatbot instalado nas plataformas digitais da Administração do Distrito Urbano do Benfica, município de Talatona, que permite prestar serviços, de forma imediata e acessível ao munícipe, de qualquer ponto e a qualquer hora.

O aplicativo contém informações relacionadas às actividades da Administração Distrital, tais como:

Horário de funcionamento; Emolumentos e taxas/Custos;
Serviços prestados pelo Distrito;
Procedimentos e requisitos para determinados processos, como obtenção de licença de construção;
Obtenção de certificação de pequenos comerciantes;
Procedimentos para utilização da praia;
Contactos e informações sobre as comissões de moradores e seus representantes.
Ainda conta com uma base de dados, contendo factos sobre o Benfica (história, população...) constituição da sua equipa  e muito mais.

Segundo o administrador daquele distrito, Hélio Aragão, em entrevista à TPA, adiantou que, esta é uma nova forma, prática e moderna, de interagir com a Administração do Distrito Urbano do Benfica.

Acrescenta que "o objectivo deste aplicativo é de aproximar a Administração do Distrito Urbano do Benfica ao cidadão; disponibilizar suporte; atendimento imediato, 24 horas ao dia e de qualidade aos munícipes e cidadãos em geral;  ao mesmo tempo, adianta, Hélio Aragão, que reduziu-se a afluência de utentes e deslocações desnecessárias do cidadão, especialmente neste contexto actual de restrições, face a pandemia da COVID-19.

Em nota publicada pela Secção de Comunicação Social da Administração, acrescenta que "esta plataforma é dinâmica, e que com o tempo, a Administração disponibilizará acesso a muitos outros serviços e informações, e, eventualmente, integração com sistemas de pagamentos, que permitirão ao cidadão efectuar pagamentos de serviços ao Estado.

O Bot Benfica está disponível na página oficial do facebook da Administração do Distrito Urbano do Benfica.

Por: Alberto Domingos | Jornalista

 

O Instituto de Tecnologias, Línguas, Culturas e Ciências (INTELC) lançou nesta sexta-feira, 07/02/2020, no mercado angolano, dois Aplicativos Tecnológicos, numa cerimônia que teve lugar na Mediateca, 28 de Agosto, em Luanda. 

Tratam-se dos aplicativos “Bolsa de Estudo App” e “PROCABE App”, ambos concebidos para os sectores da educação e empreendedorismo.

De acordo com a Directora do Gabinete de Comunicação e Marketing do INTELC, Célcia Marília Rodrigues, a “Bolsa de Estudo App” é um produto tecnológico projectado para reunir permanentemente informação actualizada, fiável e relevante sobre centenas de bolsas de estudo para estudantes angolanos (para cursos de curta duração, estágios, licenciaturas, mestrados, doutoramentos e pós-doutoramentos).

“As ferramentas foram construídas inteiramente por uma equipa de engenheiros angolanos, sob a liderança de Flávio Timpi e Jussoane Filipe. A sua concepção, desenvolvimento, teste e conclusão levaram, aproximadamente, dois anos”, disse.

Durante o acto, o responsável do Programa de Preparação de Candidaturas a Bolsas de Estudo e Empreendedorismo do INTELC, Gamariel Feca, mostrou-se bastante satisfeito, pois acredita que o uso consistente e eficiente dos aplicativos ajudarão os jovens angolanos em sectores cruciais como educação e emprego.

E para tal, o director de Investimentos do INTELC, Ludy Castro, anunciou para breve o  lançamento de um programa de formação para ajudar os futuros usuários a manusearem, explorarem e aproveitarem bem as várias funcionalidades integradas no “Bolsa de Estudo App” e “PROCABE App”.

O Instituto de Tecnologias, Línguas, Culturas e Ciências (INTELC) é uma organização criada em 2012 em Angola, e actua, essencialmente, no sector da educação, oferecendo consultorias para Bolsas de Estudo, carreiras profissionais e formação técnico-profissional. 

A visão do INTELC é ajudar o Governo de Angola a reduzir a taxa de desemprego no país a níveis significativos, e tem como missão formar 400 mil empreendedores e inovadores até ao ano 2068.

Durante o acto, um dos participantes, estudante do segundo ciclo do Ensino Secundário,  Jafet Matondo Manzambi, mostrou a sua satisfação e apelou à Direcção do INTELC no sentido de divulgarem mais a existência dos dois  aplicativos, pois que, são ferramentas valiosas concessão de informações sobre Bolsas de Estudo disponíveis para os estudantes angolanos.

 

Para o estudante, a procura por bolsas de estudo é muito frequente no nosso país, por isso, tendo um aplicativo que reúne todas as informações sobre as bolsas, e permite o envio das candidaturas directamente, é uma grande valia, por isso, pediu maior divulgação daqueles aplicativos.

Criado por um jovem angolano, natural de Cabinda  "Flávio Barros", actualmente residente na África do Sul, e trabalhando como desenvolvedor sénior em algumas empresas daquele país, o Viaangolana é um aplicativo para Smartphones, já disponível gratuitamente para a plataforma Android.

Este propõe-se a funcionar como um guia de estudo online, tornando acessível e mais fácil o aprendizado ao Código de Estrada, os Sinais de Trânsito, tipologias de veículos, seus componentes (Mecânica) e mais ainda.

Diante desta "Era de informação", a digitalização de conteúdos é um dos grandes desafios encontrados, e com a finalidade de reduzir os custos com os livros, aproveitando os benefícios das Tecnologias de Informação, o acesso a internet e o tempo investido nos Smartphones, o jovem criador da plataforma dedicou-se a desenvolver este aplicativo que possibilita:

Fazer testes teóricos diários ou semanais;

Ter contacto com os principais órgãos responsáveis pela viação e trânsito nas 18 províncias;

Acessar a informação sobre alguns serviços como: O pedido de Exame de Condução e a Solicitação da segunda via da Carta de Condução;

Já com mais de 100 downloads e usuários activos diariamente, o Aplicativo promete ainda mais novidades nos próximos meses com as futuras actualizações... Para poder usufruir dos recursos já existentes, basta baixá-lo pelo link http://bit.ly/2QqdNkV

"Pela primeira vez em Angola, temos o nosso Código de estrada disponível digitalmente para ser acessado de forma prática e organizada. E espero profundamente que isto revolucione o método de aprendizado e ajude a produzir melhores condutores no país e consequentemente, a redução de acidentes na viação", disse o Flávio Barros.

 

 

 

 

 

© 2020 Portal de T.I Todos Direitos Reservados | Telefone: +244930747817 | E-mail: info@portaldeti.com