janeiro 25, 2021

Nesta entrevista exclusiva conduzida pelo Portal de T.I, com o CEO do KUBINGA, Emerson Paím, abordamos assuntos relacionados a mobilidade em Angola, com realce ao modelo de negócios do Kubinga e vários outros assuntos como a tributação, inclusão digital e projectos, em função do novo paradigma em que estamos expostos.
É com certeza um entrevista a não perder.

 

Clique aqui para assistir a entrevista completa.

Denominada WHATA KIDS, é a primeira startup angolana na área de educação, que ensina educação financeira a crianças por intermédio de um aplicativo móvel, alinhada aos 17 ODS, com foco essencialmente para educação de qualidade, erradicação da pobreza, trabalho decente e crescimento económico, e também tem se preocupado com a acção contra a mudança global do clima.

A Whata Kids foi lançada no mês de Agosto de 2020, estando nesta altura a realizar actividades offline para crianças sobre educação financeira, tendo conteúdos direccionados aos encarregados, na sua página do Instagram e Youtube.

Conta o fundador, Hélder Fernandes, "neste momento o acesso ao aplicativo está limitado para um certo número de pessoas, mas temos previsões de torná-lo acessível a todos os interessados no primeiro trimestre de 2021".

Em termos de investimento, A Whata Kids começou a funcionar com capital próprio, desde o ano de 2017, ano em que foi idealizada. Pelo o que conta Helder Fernandes, o investimento alcançado ultrapassou as expectativas. "Sendo que já realizamos a nossa primeira rodada de investimento, onde tínhamos o objectivo de levantar AOA 7 milhões, ultrapassamos o valor pretendido e já conseguimos cumprir cerca de 78% das metas traçadas", disse.

O seu fundador, Helder Fernandes, é um jovem angolano, de 26 anos de idade, Engenheiro Civil, formado pelo Instituto Superior Politécnico de Tecnologia ( ISPTEC ).

O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, felicitou esta terça-feira (08), a startup nacional de tecnologias “Appy Saúde” pela conquista do prémio “Virtual Digital World 2020”, da International Telecommunication Union (ITU).

Em mensagem ao mentor do projecto, Pedro Beirão, e colaboradores, o Vice-Presidente da República considerou a premiação um “reconhecimento merecido” por parte da agência especializada das Nações Unidas para as Tecnologias de Informação e Comunicação à startup angolana.

“A distinção na categoria E-Health é o reconhecimento merecido à APPY Saúde, que tem contribuído para o desenvolvimento da indústria das tecnologias em Angola, em África e no mundo, pautando pela excelência no uso das novas tecnologias em benefício das famílias e da sociedade em geral”, assinalou.

A “AppySaúde” contém “soluções inovadoras de tecnologia com potencial de mudar vidas em todo o mundo”, através da identificação da farmácia mais próxima, com melhor preço e disponibilidade dos medicamentos.

“Isso demonstra como o uso das TIC’s pode contribuir para o bem-estar das pessoas, acelerar o desenvolvimento económico e trazer vantagens para o país”, declarou o Vice-Presidente da República.

É a segunda vez que o aplicativo criado pelo angolano Pedro Beirão vence um concurso internacional. Em 2019, a Appy Saúde venceu o prémio de Melhor Aplicação Africana no concurso “Apps África”, realizado na Cidade de Cabo, África do Sul, que atraiu mais de 400 projectos de 52 países, com soluções lançadas nos mercados africanos.

 

Fonte: OAVPR

A Sokowatch, Start-up africana com sede no Quénia, fornecedora online de produtos para micro verejistas, está a implantar tuks tuks eléctricos, uma inovação que poderá reduzir os custos de manutenção da frota em mais de 50%.

A empresa desenvolveu um aplicativo no qual pequenos varejistas na África Oriental podem registrar pedidos de vários produtos para reabastecer suas lojas.

Devido aos transtornos que a empresa enfrentava no acto da entrega da mercadoria, causados por excesso de engarrafamento nas cidades onde a empresa efectuava as entregas, a empresa adoptou riquixás de três rodas como principal meio de transporte da mercadoria.

Actualmente, a empresa já implantou oito tuk tuks elétricos montados localmente em Uganda e pretende implantar outros oito em Ruanda antes de distribuir os veículos para o Quênia e a Tanzânia.

“Nós realmente acreditamos que os veículos elétricos são o futuro da mobilidade ... especificamente na África, especialmente quando se trata de alimentar o comércio ou varejo em todo o continente”, disse Daniel Yu, presidente-executivo da Sokowatch, à Reuters.

Nossa análise preliminar indica que podemos obter economias de custo significativas, talvez até mais de 50% do que pagamos actualmente para operar nossa frota tradicional.” Acrescentou Daniel Yu.

Assim, a empresa diz que vai continuar a investir nesse meio de transporte, pois tem sido muito rentável.

Entrevista exclusiva, com o Eng. Dimonekene Ditutala, Director Local da Founder Institute Luanda (FIL), onde falamos sobre a FIL e o contributo das Startups no desenvolvimento do ecossistema digital angolano.
Pensamos ser um tema bastante pertinente, em função do novo paradigma a que estamos expostos.
Mais do que nunca, as Startups são agora chamadas para apresentarem soluções inovadoras para problemas que afectam directamente aos vários sectores da sociedade.

 

Clique aqui para assistir a entrevista completa.

Pág. 1 de 4
© 2020 Portal de T.I Todos Direitos Reservados | Telefone: +244930747817 | E-mail: info@portaldeti.com