outubro 27, 2020

Mobile Money e Mobile Banking

By outubro 14, 2020
Mobile Money e Mobile Banking Imagem: D.R

Por: Morato Custódio | Business Developer

 

Angola vive um ambiente fervoroso a volta da inovação tecnológica e é constante ver as novidades a volta do comércio digital desde as compras de bens até a compra de serviços, mas, o sector financeiro tecnológico é sem dúvidas o mais disputado e onde há maior intervenção do estado, Banca comercial e operadoras de telefonia móvel. As financeiras tecnológicas ou FinTech têm vindo a dar passos largos em Angola em termos de inovação tecnológica, uma vez que Angola tem muitas referências em África para adotar modelos operacionais e regulatórios, mas ao mesmo tempo tem dado passos tímidos a volta do ambiente regulatório.

Uma das questões que se tem colocado é sobre a diferença entre o Mobile Banking e o Mobile Money e é comum ver alguns conceitos misturados, confundindo não só a opinião pública como também alguns leigos em posições de tomada de decisão.

O Mobile Money é um serviço financeiro oferecido aos seus clientes normalmente por uma operadora de rede móvel (Ex. Unitel ou Movicel) ou outra entidade, independente da rede bancária tradicional (Ex. Xikila Money). Para o Mobile Money funcionar, não é necessário que o utilizador tenha uma conta bancária, sendo que o pré-requisito é um telemóvel básico (Bombinha).

Desde 1998 com o surgimento do PayPal, os serviços financeiros móveis têm evoluído continuamente a tal ponto que agora você pode enviar dinheiro a alguém como se estivesse a enviar um SMS, que é algo muito comum em África, especialmente no Quênia, onde podemos observar a maior rede de Mobile Money do mundo – O M-Pesa!

O M-Pesa foi lançado no Quênia em 2007 pela Vodafone e Safaricom, oferecendo aos usuários uma maneira de armazenar e transferir dinheiro nos seus telefones, para qualquer pessoa dentro da mesma rede de forma instantânea e esse serviço revolucionou o sector financeiro no Quênia, permitindo ao país o alcance para uma das maiores percentagens de inclusão financeira de África.


O Mobile Banking é uma extensão do serviço bancário tradicional. Para usar um banco, você precisa de uma conta bancária e com a inovação tecnológica é possível levar o seu banco no bolso consigo e visita-lo quando quiser e onde quiser, desafiando o modelo de distribuição tradicional baseado em agências bancárias que terá sempre um alcance limitado.

A maioria dos bancos Angolanos oferece aplicativos móveis que permite o acesso e gestão da sua conta bancária, como, consultar o saldo, solicitar transferências e aceder a serviços bancários, etc.

Existem alguns aplicativos de mobile banking que não estão associados a nenhum banco de forma exclusiva, como por exemplo o Multicaixa Express, que é um serviço digital que permite o acesso a operações financeiras que permite acesso a todos os usuários de cartões da rede Multicaixa, em suma, o Multicaixa Express é se calhar o maior concorrente dos canais digitais exclusivos dos bancos.

Pelo mundo assistimos a iniciativas privadas como o Monzo e o Revolut que são serviços de Mobile Banking 100% digital.

Os bancos tratam a questão da segurança com muito rigor – e devem – e o mobile banking não é exceção. A autenticação de dois fatores (onde você precisa ter um código enviado por mensagem de texto ou e-mail para autorização) é usada para logins, pagamentos e atualizações. Portanto, o mobile banking é um banco regular, mas com um interface digital instalado num dispositivo móvel.

Em suma...

Mobile Money e Mobile Banking são dois termos separados para uma forma modernizada de transação sem dinheiro físico, onde o mobile money é um meio de transação de pessoa para pessoa (P2P) que ajuda a pagar contas ou comprar produtos online com a ajuda de um telefone e o mobile banking permite que o utilizador tenha acesso a todos os serviços bancários, sem precisar ir ao banco ou ao Multicaixa.

Jovem apaixonado pela tecnologia e inovação.

© 2020 Portal de T.I Todos Direitos Reservados | Telefone: +244930747817 | E-mail: info@portaldeti.com