setembro 18, 2020

Covid-19: Patrão bom ou patrão mau?

By agosto 11, 2020 0
Covid-19: Patrão bom ou patrão mau? Imagem: D.R

A pandemia que assola o mundo, teve um efeito cascata afectando diversas dimensões socio-económicas, além da saúde.

Sem desfavor da seriedade que o tema merece e com o máximo respeito pelas vítimas e o contexto do «novo normal», vamos, no entanto, ficcionar um pouco sobre a relação entre a Covid-19 e a forma como redesenhou o «Trabalho».

Antes da pandemia, eu tinha 3 certezas na vida:

1. O Homem nasce.

2. O Homem perece.

3. E que o dia tinha 24H.

Hoje e durante uma pandemia, comai a ter dúvidas sobre o ponto 3. Em termos absolutos o dia continua a ter 24H mas, em termos relativos sentimos que como 24H de hoje se tornou psicologicamente mais longo.

Antigamente, as 24H eram compostas por: 8H de sono + 8H de trabalho + 8H para cada um realizar as suas necessidades da pirâmide de Maslow.

Actualmente, a ordem natural das coisas parece ter sido interrompida. Imaginando uma bolsa de valores por exemplo, diria que as «horas de sono» e «horas de realização pessoal» perderam bastante comuns ao contrário das «horas de trabalho» que têm uma espécie de «jackpot» neste «novo normal».  

Enfim, o «novo normal» de trabalho acabou por alterar a verdade absoluta sobre o dia ter 24H ao redefinir a gestão de tempo que fazemos nesse período.  

Puxando pela imaginação e se pudéssemos brincar um pouco com coisas sérias, diria que o Covid-19 é uma espécie de «Patrão mau»:

  • Nos faz trabalhar mais horas por dia e pelo mesmo salário.
  • Nos retira subsídios (transporte) porque já «não vamos» ao trabalho porque literalmente «vivemos» no trabalho. 
  • Já não nos controla com o tradicional livro de ponto porque o novo biométrico é o sinal «online» das plataformas de colaboração.
  • A nossa presença já não é medida com o «olhómetro», mas com «prova de vida» por exemplo, emails trocados, presença em reuniões, relatórios de status de tarefas com mais hiper-produtividade.
  • Nos «dissuade» de sair à rua fazer manifestações sobre direitos laborais devido ao necessário «distanciamento social».    
  • Já não nos deixa negociar super-contratos de trabalho e solicitar por exemplo: viatura de serviço, casa ou subsídio de deslocalização, porque agora o trabalho é descentralizado: anywhere, everywhere; all the time.   

Por fim, depois de reflectir ainda mais, cheguei a conclusão que afinal este Patrão não é mau, o problema são as «más companhias». Desde que o Patrão conheceu a «Internet», aquela rede de redes que permite estarmos conectados a escala global e possibilidades de interacção, tudo ficou assim. E parece que essa amizade veio para ficar. Tenho dito.

 

Luís Catuzeco José

Luis Catuzeco José é um entusiasta pela partilha de conhecimento e debates sobre temas relacionados com novas tecnologias e sociedade.

https://www.linkedin.com/in/luisjoseprofile/

Leave a comment

Deixe o seu comentário. Os campos com * são obrigatórios.

© 2020 Portal de T.I Todos Direitos Reservados