setembro 18, 2020

A arte da escalabilidade - Parte III

By julho 28, 2020 0
A arte da escalabilidade - Parte III Imagem: D.R

Saudações! Sejam todos bem vindos a última parte da nossa série de artigos sobre a Arte da Escalabilidade, até então, tem sido muito interessante para não dizer empolgante partilhar o pouco que aprendi do muito sobre que Martin L. Abbott e Michael T. Fisher partilharam no livro The Art Of Scalability (Scale web Architecture, Processes, And Organizations for the Modern Enterprise), dividimos esta série em III partes onde na primeira parte falamos sobre o impacto das pessoas e da liderança no processo da escalabilidade, neste artigo vimos que as pessoas, organizações, gestão e liderança são parte que nunca se deve ignorar quando se trata de escalabilidade, também dissemos que as pessoas são peças fundamentais para este exercício de escalar qualquer coisa, porque sem pessoas não há processos e nem há tecnologia.

Já na parte II falamos sobre funções (responsabilidades) para uma organização de tecnologia escalável, neste parte vimos que fornecer clareza de função é responsabilidade de líderes e gerentes, vimos que indivíduos assim como as organizações precisam de clareza de funções. E no final demos alguns exemplos de como as funções (responsabilidades) podem ser claramente definidos para ajudar na missão da organização de atingir níveis mais altos de escalabilidade. E finalmente, hoje vamos encerrar a nossa série falando da parte III da série com o tema Projectando organizações. Boa leitura!

Parte III: Projectando Organizações

Realizar grandes coisas começa com a descoberta de pessoas certas e confiar nelas papéis certos. A esta altura deves fazer a seguinte pergunta: o que organizações têm a ver com a escalabilidade de sistemas? A resposta desta pergunta está em quais factores do sistema são afectados por uma estrutura organizacional e, por sua vez, qual a importância destes factores no processo da escalabilidade do seu sistema. Os factores mais importantes que a estrutura organizacional pode afectar directamente o sistema são: comunicação, eficiência, padrões, qualidade e propriedade. A nossa missão aqui é de analisar cada factor ao mesmo tempo examinar como a estrutura organizacional pode influenciar o sistema assim também podemos estabelecer uma relação causal entre a organização e a escalabilidade de sistemas.

Já que estamos falando de organizações vale a pena destacar que existem dois factores determinantes de uma organização: tamanho da equipa e estrutura da equipa. Quando se tem o tamanho real de uma equipa e como os elementos da mesma equipa estão relacionados uns com os outros, você tem uma descrição clara da organização.

Tamanho da Equipa

É de capital importância que uma organização tenha o tamanho da equipa mais adequado para o momento, isso ajudará muito e de certa forma vai ditar a agilidade ou não agilidade da equipa e consequentemente da organização, até a este ponto, é justo levantarmos a seguinte pergunta: então qual seria o tamanho ideal de uma equipa para uma organização? Para essa pergunta a resposta seria essa, depende muito, não há um único número mágico que seja melhor para todas as equipas, a única coisa que é uma certeza é: a agilidade deve fazer parte do DNA da organização ou seja sem agilidade a organização pode morrer é só uma questão de tempo até isso acontecer. Há muitos factores que devem ser considerados ao determinamos o tamanho ideal para uma equipa conforme veremos ao longo do artigo.

Sinais de aviso

Como tudo na vida, para um perigo há sempre um aviso, assim também é para organizações, uma vez que ter um tamanho não adequado para o momento causa prejuízos e esse tamanho não adequado poderia ser uma equipa relativamente grande ou relativamente pequena. Apesar de não existir números mágicos que definem o tamanho ideal de uma equipa temos do outro lado sinais que nos ajudam a fazer a leitura sobre o impacto do tamanho da equipa que se tem na organização, e é o dever dos gestores das organizações a prestarem atenção a estes sinais tão logo que eles se manifestarem deve - se tomar uma atitude o quanto antes.

Caso a sua organização não tenha uma política apropriada para verificar regularmente se estão com o tamanho certo ou não da equipa, aqui vão algumas dicas (sinais) que o ajudaram a descobrir se a sua organização está ou não com uma equipa adequada.

Para descobrir se a organização está com a equipa relativamente grande os indicadores que se deve buscar são:

● Falta de comunicação

● Baixa produtividade

● Falta de entrega da equipa como toda.

Falta de comunicação

A falta de comunicação poderia se manifestar de várias formas tais como a falta dos membros em reuniões, falta de feedback, pessoas fazendo as mesmas perguntas.

Baixa produtividade

A baixa da produtividade pode ser outro sinal da equipa ser relativamente grande, porque se um executivo (veja a parte II para saber mais sobre as funções para uma organização) não consegue distribuir responsabilidades ou saber quem está a trabalhar no que, é um sinal de rever bem o tamanho da equipa, ela deve estar um pouquinho grande e isso afecta na produtividade da organização no seu todo.

Falta de entrega da equipa como toda

Com uma equipa relativamente grande, cada um confia que outro vai fazer o trabalho então tarefas deixam de ser executadas e assim, prazos não são respeitados. Para não cairmos no erro do falso alarme, e confundimos a falta de entrega no serviço por parte da equipa com a falta de clareza nas funções e responsabilidades, sugiro que leias a segunda parte do artigo para quem não leu onde falamos sobre funções(responsabilidades) para organização escalável, porque a falta de entrega pode se confundir com a falta de clareza na organização.

Para descobrir se a sua organização está com uma equipa relativamente pequena aqui vão algumas dicas:

● Não comprimento nos prazos

● Trabalhar mais do que se devia

● Micro-gerenciamento

Não cumprimento nos prazos

Quando a equipa se torna relativamente pequena, os sinais são mais óbvios, a organização está sempre com trabalhos acumulados e isso cria uma cadeia de atrasos em quase tudo que a organização está envolvida.

Trabalhar mais do que se devia

Longe de mim fazer apologia a preguiça, tem uma passagem no livro sagrado que diz “ para o preguiçoso a pobreza lhe visitará na cama” e isso é um facto, mais quando uma equipa está trabalhando 24/24 o tempo todo de Janeiro a Janeiro alguma coisa está mal, salvo que em momentos especiais em que de repente a demanda aumentou e precisa - se entregar o produto, mas tão logo que essa fase termine é importante equilibrar a carga horários da equipa ou aumentar mais profissionais.

Micro Gerenciamento

Quando sempre e sempre tem de ter pessoas acima de outras o tempo todo, esse é mais um sinal que provavelmente a equipa está relativamente pequena.

O.B.S: na minha opinião a verdadeira engenharia da vida é fazer muito com pouco, mostrar resultados e não desculpas. De propósito eu abri essa sessão para encorajar os nossos heróis do dia a dia, porque eu sei que existem muito por aí, eles fazem muito com pouco as vezes mesmo chegam de sacrificar de tudo um pouco agora para fazer diferente amanhã.

Estrutura Organizacional

Depois de vermos o primeiro factor determinante em organizações que é o tamanho ideal de uma organização, agora veremos o segundo factor que é a estrutura organizacional. Esse é um assunto muito abrangente e não faz parte do escopo dessa série em aprofundar nesse assunto em particular mas para não ficar em branco diríamos que estrutural organizacional refere - se ao layout ou como as equipas se relacionam umas com as outras dentro de uma organização. Isso incluir a separação dos funcionários em departamentos, divisões e equipas, bem como hierarquia de gestão usada para o comando e o controle das forças. Existem tantas estruturas diferentes mais tem duas estruturas básicas das quais tudo decorre:

● Estrutura organizacional funcional

● Estrutura organizacional matriciais

Estrutura organizacional funcional

A estrutura organizacional funcional é a estrutura original sobre a qual exércitos e indústrias foram baseadas.

Estrutura organizacional matriciais

Estrutural matricial é um tipo híbrido de estrutura organizacional, no qual equipes compostas por pessoas de diversas especialidades, tem como objectivo de realizar tarefas com características temporárias.

Para mais informação nesse assunto recomendo o livro de Dorival Carreira, Organização, Sistemas e Métodos - 2ª Ed. - 2009.

Neste artigo, destacamos a importância de se ter uma equipa adequada pois isso influenciar directamente no processo da escalabilidade de qualquer coisa, ainda destacamos dois factores que devemos levar em conta quando se pretende formar uma equipa a saber: o tamanho e a estrutura pois tais factores são determinantes no processo da escalabilidade de um sistema. Ainda nesse artigo, estabelecemos um vínculo entre a estrutura organizacional e o processo da escalabilidade.

Este era o artigo que faltava para encerrar a nossa série, lembrando que esta seria de artigo tem como tema principal a arte da escalabilidade ele foi baseado no livro de Martin L. Abbott e o Michael T. Fisher, livro com o título The Art Of Scalability (Scale web Architecture, Processes, And Organizations for the Modern Enterprise). Ao longo da série nós apontamos três aspectos fundamentais para escalar qualquer coisa, a saber:

● O Impacto das pessoas e da liderança no processo da escalabilidade

● Funções (responsabilidades) para uma organização de tecnologia escalável

● Projectando Organizações

Espero que tenha sido proveitoso lendo esta série de artigos e espero que de modo geral os artigos tenham sido informativo para os leitores, sem mais palavras só me resta agora me despedir e desejá - lo o resto de um dia muito abençoado. Até mais!

José Tandavala

Desenvolvedor de Software, OpenSource enthusiast, co-organizador do DevOps day Luanda actualmente trabalha como programador backend.

https://www.linkedin.com/in/josetandavala/

Leave a comment

Deixe o seu comentário. Os campos com * são obrigatórios.

© 2020 Portal de T.I Todos Direitos Reservados